Sabemos que uma aranha pode ser um animal bem pequeno, mas sua presença pode causar um mal estar enorme as pessoas que convivem com elas. Principalmente porque só em 2011, forma registrados mais de 26.500 casos de incidentes com aranhas, segundo estatística do Ministério da Saúde. (Fonte: Sinan/SVS/MS – atualizado em 21/06/2012)

Pensando nisso a  Univet desenvolveu uma metodologia  para eliminar as Aranhas que causam terror a sua família. Nosso serviço de dedetização de aranhas utiliza produtos que são seguros e a aplicação dos mesmos não causam desconforto as pessoas que se encontram no ambiente.

A Dona Aranha, faz mais do que subir pelas paredes.

aranha

Animais invertebrados como aranhas apresentam perigo para animais e o homem por causa de suas substâncias tóxicas. Insetos imaturos (termo usado por especialista para denominar insetos que não desenvolveram os órgãos reprodutivos completamente) chegam a provocar internações e até a morte de pessoas adultas e principalmente crianças.

Medo de Aranhas

Existe um nome para o medo de aranhas,  chama-se aracnofobia. As reações dos aracnofóbicos parecem frequentemente bem irracional às pessoas, e ao próprio afetado mesmo. Tentam permanecer longe de todo o local onde pensam que habitam aranhas, ou onde observaram aracnídeos. Se virem uma aranha perto de algum lugar onde vão entrar, evitam entrar nesse lugar, mesmo que a distância entre o local e onde está a aranha seja grande, ou ao menos terão antes que fazer um esforço para controlar seu medo, que pode ser caracterizado na respiração rápida, por taquicardia e por náuseas.

O medo às aranhas pode determinar o lugar onde o fóbico decide viver, ou o local a que irá nas férias, e limitar os esportes ou passatempos que deseja apreciar.

Venenosas para os humanos

Uma porcentagem muito pequena de aranhas é venenosa para os humanos, o que significa que elas podem injetar perigosas peçonhas, apesar de que venenosa significa que as aranhas seriam prejudiciais se fossem comidas. Os efeitos do veneno variam de acordo com a espécie, idade e sexo da aranha e da idade e saúde da pessoa que foi picada.

As neurotoxinas no veneno podem afetar o sistema nervoso, causando tonturas, dificuldade de respirar, náusea, embaçamento da visão e músculos rígidos, entre outras coisas. O veneno pode ainda necrosar o tecido em volta da mordida. Geralmente, se uma vítima de picada procura cuidados médicos, o dano será mínimo. Apesar de ser um fato raro, uma picada de aranha sem tratamento pode matar.

As aranhas perigosas mais famosas são a viúva negra e a reclusa marrom. Ambas podem matar, mas o perigo é menor para adultos saudáveis. As duas aranhas são reclusas por natureza e só atacam quando se sentem ameaçadas

Conhecendo algumas aranhas

Armadeira (Phoneutria sp)
As armadeiras medem aproximadamente 17 cm de comprimento na fase adulta incluindo as pernas, com o corpo medindo em torno de 5 cm. Elas são de coloração marrom escuro ou acinzentadas com as pernas e o corpo cobertos por pêlos curtos exceto na região próxima aos ferrões onde os pêlos têm coloração avermelhada. Elas não fazem teias e vivem solitárias gostando de locais bem escuros, na natureza ou dentro das casas. Elas têm hábitos noturnos e saem para caçar a noite.

As armadeiras são extremamente agressivas assumindo posição “para dar o bote” e essa característica acabou lhe dando o nome de “armadeira”. Nas casas, elas costumam entrar por frestas embaixo das portas ou nas paredes e gostam de se esconder dentro de sapatos. A picada causa dor de grande intensidade com necessidade de uso de anestésicos para controle da dor. Pode causar acidentes graves principalmente em crianças. Faz parte do tratamento a administração de soro anti-aracnídico. É encontrada na Amazônia, nos Estados de Goiás, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

Aranha marrom (Loxosceles sp)

A aranha marrom é bem menor que a armadeira com 3 a 4 cm de comprimento, com corpo de 1 a 2 cm. Ela apresenta pêlos muito curtos, praticamente invisíveis. São aranhas que fazem teias de aspecto irregular construídas entre tijolos, restos de estruturas de alvenaria, tocos de madeira ou bambu, cantos de paredes e lugares escuros. Ao contrário da armadeira, elas não são agressivas.

Entretanto, os acidentes são na maior parte das vezes muito graves. Os locais de picada mais comuns são tronco, abdômen, coxa e braço. No local da picada começa uma sensação de queimadura e geralmente forma-se uma ferida. O tratamento é feito com soro antiaracnídico ou especificamente com o soro antiloxoscélico.

Aranha da grama, aranha de jardim ou tarântula (Lycosa sp)

Atinge em torno de 5 cm de comprimento incluindo as pernas, com corpo de 2 a 3 cm. É de coloração acinzentada, com pêlos vermelhos perto dos ferrões. Possui uma mancha em forma de flecha sobre o corpo. Vive tanto nos ambientes externos (vegetação) em gramados como dentro de habitações. Embora os acidentes sejam freqüentes, não apresentam gravidade, não sendo necessária terapêutica com soro antiaracnidíco.

Aranha caranguejeira

As caranguejeiras são muito grandes, peludas e de cor escura. Embora apresentem uma aparência assustadora, os acidentes são raros e sem gravidade, não sendo necessária terapêutica específica com soro antiaracnídico.

Viúva negra (Latrodectus sp)

É uma aranha pequena, sendo a fêmea maior do que o macho. A fêmea tem em torno de 3 cm incluindo as pernas (com corpo de até 1,5 cm). Possui cor preta com várias manchas avermelhadas. O macho tem de 1/3 a 1/4 do tamanho das fêmeas. São aranhas que constroem teias em geral em ambiente externo no meio da vegetação, sempre em lugares escuros. Raramente causam acidentes e, em geral, de pouca a moderada gravidade. A viúva negra é muito encontrada no litoral do Nordeste